Inferno

As escrituras não esclarecem se o Inferno realmente existe, por isso, hoje, revelarei este mistério; o qual, faz parte do ensino dado no meu primeiro livro A História do Servo e a Mulher Anjo e Demônio, e de um outro ainda não publicado; eis que, os relatos em suma, descrevem as experiências que eu passei com algumas pessoas noutrora:

Maria Madalena

No dia 12 de março do ano de 1996, a alma de Maria Madalena, manifestou-se no corpo de minha esposa na época, chamada Maria Luiza… suplicando-me que eu a libertasse das Trevas; tudo começou assim:

“Cheguei do meu trabalho noturno e desejei dormir logo. Porém, Luiza teve que sair com urgência… e eu tive que ficar com as crianças. A ex então pegou as filhas às 13 horas e, enfim, eu pude dormir.

Acordei às 16h04 e pensei que Louise não tinha chegado. Então, fui à sala assistir à televisão com os dois filhos dela, e vi que ela dormia no sofá.

O filme acabou às 17 horas, e dois minutos depois, olhei para ela e notei que parecia ter um pesadelo. Portanto, mandei as crianças irem brincar no quarto e me aproximei de Louise… e pus a mão direita sobre sua cabeça e orei… Então, ela ficou possessa por um demônio; o qual, com rapidez, puxou minha mão, sentou-se no sofá e me deu as costas:

— Qual é o teu nome?

— Não posso te revelar. Tire as crianças da casa, e eu ti revelarei tudo… — meio atordoado atendi ao seu pedido e, aí, vivi, esta incrível experiência…

A libertação da alma de Maria Madalena, pode ser conferido nestes três vídeos:

A maldade humana

Atendendo a um pedido de minha atual esposa, Alessandra, no dia 09/03/2008, encontrei-me com o Alan, irmão da Paula, que estava no oitavo mês de gestação; o qual, à noite nos contou um sonho incrível:

“Nunca tenho sorte com as mulheres, e tudo que faço dá errado. Não cobiço os bens alheios, e, creio e tenho muita fé em Deus. Embora eu tenha sido batizado na igreja… e também frequentado a Igreja de Cristo; eu nunca me agreguei a nenhuma delas, pois, na verdade eu só acredito no que está escrito na bíblia.

Porém não sei o que acontece comigo, pois desde criança eu vejo espíritos negros à minha frente, eles me circundam aonde quer que eu esteja; em especial, um deles que me aparece sempre. Não sei se ele é do sexo feminino ou masculino, todavia, tal espírito logo tenta se evadir do local, após eu afirmar já tê-lo visto.

Além disso, eu sinto algo pesado sobre o meu corpo… como se fossem duas corcovas; uma em cima de cada omoplata. Eu só sei que é algo muito grande! Mas não o que é, ou, o que representa.

Noutrora sonhei com um personagem cujo esplendor e aparência eram radiantes. Eu não vi o rosto dele, pois uma grande luz o encobria. Em seguida, vi dois anjos, um deles cobriu com o braço esquerdo sua face… de modo que eu não pude vê-la, mas senti que estava desfigurada; o outro tinha uma aparência bela, e com seriedade me perguntou:

Tu queres que se cumpra aqui na Terra, ou não?

No momento eu desdenhei a pergunta dele, pois não o compreendi. Porém, ele extremamente sério me repetiu as mesmas palavras… Aí, senti que ele falava sobre algo que eu tinha que optar ainda em vida, e que morreria se não decidisse logo.

— Quero que se cumpra aqui na Terra! Pois, desejo viver mais algum tempo. Falei, e então acordei”.

Após me conscientizar dos fatos, o que aconteceu nesta noite foi incrível…

A chave dourada

No dia 05/02/2011, na capital de São Paulo, conheci duas Marias: uma delas, foi a Ana Maria, uma mãe omissa na criação dos filhos, ela se achava salva após o batismo; em tudo que ela fazia, era comum ouvi-la dizer: Oh, Senhor Amado!

A outra, Maria de Fátima, uma mulher que não frequentava igrejas, e nunca fora evangelizada, então, de supetão, sentei-me à frente da porta da casa dela, e lhe falei junto ao seu companheiro; sem imaginar o resultado da minha pregação nessa noite:

Aflita em extremo, Fátima me confiara, à libertação da sua alma do inferno, igual o anjo Madalena.

— Sim, eu posso e vou te ajudar! Acalma-te, e espera nossa “santa” vizinha – Ana Maria – ir à noite a igreja; pois, não gostaria que ela, ou qualquer outra pessoa nos visse [Filip. 3:2, Lc. 5:14, 8:56, Mt. 7:6, 6:1-8].

— Tudo bem, mas liberte-a; quando tu achares que é a hora, eu estarei pronta; mas, pelo amor de Deus, me ajuda, eu sei que tu podes [Mc. 9:23].

Então, vivi outra incrível experiência nesta noite…

A essência Crística revelada

Desde o início do ano de 1994, eu passei a viver, inesperadamente, diversas experiências espirituais… sem saber, o por que do meu sofrimento; eu não entendia, o motivo pelo qual, tais situações sobrenaturais,  aconteciam naquela época; os quais, faziam-me ranger os dentes, até, com bruxismo. Vi-me, como um ser totalmente angustiado, tentando compreender, o porquê de todo o meu sofrimento

Não obstante, o tempo, junto com a maturidade, fizeram-me aos poucos, compreender, Quem Eu Sou.

Eis que, a meu respeito, foi assim escrito:

“Eis que eu te purifiquei, porém não como a prata; escolhi-te na fornalha da aflição. Por amor de mim, por amor de mim o farei; pois como seria o meu nome profanado? A minha glória não a darei a outrem. Escuta-me, ó Jacó, e tu, ó Israel, a quem eu chamei; eu sou o mesmo, eu sou o primeiro, também eu sou o último” – (Isaías. 48:10-12).

“Era desprezado e rejeitado dos homens; um varão de dores, e que tinha experiência de enfermidades. Como um de quem os homens escondiam o rosto, era ele desprezado, e dele não fizemos caso”.

“Verdadeiramente foi ele quem tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos como aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, esmagado por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos devia trazer a paz, caiu sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos nós sarados” – (Isaías.  53:3-4).

Sim, eu sei, que as escrituras acima, descrevem o sofrimento de Cristo. Mas, afinal, eu não afirmo que Sou o Cristo?

Escrituras da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, descrevem:

“Quando o Salvador se manifestar, vê-lo-emos como é. Veremos que é um homem como nós. “Examinai diligentemente as palavras de Isaías, pois, na verdade, todas elas serão cumpridas” [D&C 130:1, 3 Né. 23:1–3].

“O meu Servo procederá com prudência. Como muitos pasmaram à vista dele (tão desfigurado estava o seu aspecto que não era o de um homem — branco —, e a sua figura não era a — esperada — dos filhos dos homens), assim borrifará muitas nações; por causa dele reis taparão a boca. Pois verão aquilo que não se lhes havia anunciado, e entenderão aquilo que não tinham ouvido”.

“Descansará sobre ele o espírito de Jeová, espírito de conhecimento; a sabedoria dos seus sábios perecerá, e o entendimento dos seus prudentes se esconderá. Desde agora te mostro coisas novas, coisas escondidas que não sabias” [Isa. 52:13-15, 11:2, 29:14].

“E quando esse dia chegar, acontecerá que reis fecharão a boca, pois verão o que não lhes fora contado e considerarão o que não tinham ouvido. Porque naquele dia, por amor a mim, fará o Pai uma a obra que será grande e maravilhosa no meio deles; e haverá entre eles quem nela não creia, embora um homem — O Renovo — a declare. Mas eis que a vida do meu servo estará em minha mão; portanto, não lhe farão mal, ainda que seja desfigurado por causa deles. Não obstante, curá-lo-ei, pois mostrar-lhes-ei que minha sabedoria é maior que a astúcia do diabo. Portanto, acontecerá que todo aquele que não crer em minhas palavras — eu que sou Jesus  Cristo — as quais o Pai fará com que ele leve aos gentios e dar-lhe-á poder para levá-las aos gentios (o que será feito segundo o que disse Moisés), será afastado do seio de meu povo, que é do convênio [3 Né. 21:8-11].

Os vídeos abaixo esclarecem melhor como tudo aconteceu…

“O primeiro anjo liberto das trevas, foi à alma de Maria Madalena, aquela que viveu com o Cristo na Terra; foi ela me concedeu a maior parte das revelações descritas nos meus  livros.

Sabedores disto, vós, talvez, penseis assim:

P. — Mas se este homem, ele é mesmo o Servo, o Ungido; porque o mesmo ainda é totalmente desconhecido do público?

R. “Ninguém de modo algum vos engane; porque o dia não chegará sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição, aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, ostentando-se como Deus. Não vos lembrais que eu vos dizia estas coisas, quando ainda estava convosco? Agora sabeis aquilo que o detém, a fim de que seja revelado a seu tempo” –  [II Tessalonicenses 02:3-6].